Novidades em implantes cerebrais

Novidades em implantes cerebrais


A tecnologia e a ciência estão constantemente nos surpreendendo com suas descobertas e inovações. Recentemente, a Fundação Nacional de Ciência dos Estados Unidos financiou o desenvolvimento de um implante cerebral que poderia ajudar a movimentar membros paralisados. A verba destinada ao Centro de Engenharia Neural Sensorimotor (CSNE) da Universidade de Washington para este projeto foi de US$ 16 milhões.

Essas “interfaces bidirecionais cérebro – computador” têm como objetivo fazer ligações cruciais entre o cérebro e a medula espinhal, preenchendo lacunas causadas por alguma lesão ou por um Acidente Vascular Cerebral. Essas miniaturas teriam a capacidade de perceber a intenção do cérebro de fazer alguma coisa e, depois, transformar essa intenção em um procedimento mais complexo.

Em alguns casos, quando a pessoa sofre uma lesão medular, os circuitos cerebrais permanecem intactos, com capacidade de formar a intenção de se mover, mas o dano no cérebro impede essa transmissão para a medula. Os futuros dispositivos implantáveis têm o objetivo de ligar essas conexões perdidas para decodificar os sinais do cérebro com a parte correspondente da medula espinhal e assim possibilitar os movimentos.

Outra novidade da ciência aliada à tecnologia e ao corpo humano é o projeto de criação de um implante capaz de fazer com que o cérebro se comunique com máquinas, como se fosse uma telepatia entre humanos e computadores. Este dispositivo, chamado NEDS (Neural Engineering System Design), teria o tamanho aproximado  de um dado, possibilitando soluções compensatórias para pessoas com problemas de visão e audição.

A Darpa, divisão de pesquisas de tecnologia de defesa do exército dos Estados Unidos, é quem está por trás deste projeto. Segundo estudos, o NESD poderia transmitir informações como áudio e vídeo com resolução mais alta do que a encontrada em televisores de 4K, disponíveis no mercado atualmente.

E as possibilidades não param por aí. De acordo com o The Next Web, há diversas aplicações possíveis para um implante como este. Seria possível até fazer pesquisas instantâneas no Google, conversar com amigos ou mesmo receber orientações para chegar a um determinado destino.

A Darpa ainda não estipulou uma data para o lançamento da interface e adiantou que serão necessárias  inúmeras descobertas em neurociência, biologia sintética, sistema de engenharia, eletrônicos de baixo consumo e provas clínicas.

Nos próximos quatro anos, serão investidos 60 milhões  de dólares no projeto.

No Vestibular

Um texto como este pode ser utilizado pela Banca Examinadora de um Vestibular para introduzir questões sobre o funcionamento do sistema nervoso ou sua relação com eletricidade e magnetismo. Como o texto fala sobre AVC, também poderia questionar algo sobre a fisiologia do sistema vascular. Indo mais além, este texto também poderia ser utilizado como tema para uma redação sobre o presente e futuro da tecnologia na vida das pessoas, principalmente na Medicina e relações interpessoais.”

Questões de vestibular

1. (FUVEST) O esquema representa dois neurônios contíguos (I e II), no corpo de um animal, e sua posição em relação a duas estruturas corporais identificadas por X e Y.

questao 1
a) Considerando as estruturas X e Y como referência, em que sentido se propagam os impulsos nervosos através dos neurônios I e II?
b) Considerando-se que, na sinapse mostrada, não há contato físico entre os dois neurônios, o que permite a transmissão do impulso nervoso entre eles?
c) Explique o mecanismo que garante a transmissão unidirecional do impulso nervoso na sinapse.

2. (UF-BA) O gráfico abaixo registra a alteração elétrica de um axônio em resposta a um estímulo.

2

Esse axônio está esquematicamente registrado em:

3

3. (UF-MG) Abaixo você encontra a representação de órgãos do sistema nervoso central. Um homem que sofreu uma secção no sistema nervoso, no ponto indicado pela seta, poderá teoricamente realizar todos os atos abaixo, exceto:

4a) lembrar-se do nome de um amigo.
b) retirar a mão, se espetada por um alfinete.
c) resolver mentalmente um problema matemático.
d) sentir o perfume de uma flor.
e) fazer um trabalho manual qualquer.

4. (UNICAMP-SP) Os fumantes causam maiores danos às suas vias e superfícies respiratórias ao introduzir nelas partículas de tabaco e substâncias como nicotina em concentrações maiores do que as existentes no ar. Essas substâncias inicialmente paralisam os cílios da traqueia e dos brônquios e posteriormente os destroem. Além disso, a nicotina provoca a liberação excessiva de adrenalina no sangue, aumentando o risco de acidentes vasculares.

a) A que tipo de tecido estão associados os cílios?
b) Qual é a consequência da paralisação e destruição dos cílios das vias respiratórias?
c) Explique como os efeitos fisiológicos da liberação da adrenalina podem aumentar os riscos de acidentes vasculares.
d) Onde é produzida a adrenalina?

+ There are no comments

Add yours