Alunos da USP descobrem detergente capaz de matar Aedes aegypti

Alunos da USP descobrem detergente capaz de matar Aedes aegypti


Os alunos da Universidade de São Paulo (USP) realizaram uma pesquisa para criar um produto capaz de ajudar a reduzir a proliferação do mosquito Aedes aegypti, causador da dengue, zika e chicungunya. Trata-se de um detergente que, quando em contato com as larvas do mosquito, pode desfazê-las. O produto já foi até patenteado, mas ainda aguarda o investimento de empresas para entrar no mercado. Este inseticida foi inventado em 2012, mas foi finalizado apenas em fevereiro deste ano.

De acordo com o aluno Paulo Franco, doutorando em Biomedicina e um dos responsáveis pelo projeto, inicialmente o objetivo da pesquisa era criar um inseticida que não agredisse o meio ambiente ou até mesmo os animais durante o uso. Este produto foi desenvolvido com micro-organismos cultivados com o bagaço da cana de açúcar.

Em contato com a água, o produto reduz a tensão da superfície, o que desestabiliza as larvas, fazendo com que elas afundem, desintegrando-se em até 48 horas. O detergente impede que a larva evolua até a fase mosquito, evitando a transmissão da dengue.

Sua eficácia já foi comprovada, de acordo com o pesquisador, e rendeu ao doutorando a seleção para a final do prêmio Idea to Product, organizado pela Universidade do Texas. O inseticida está disponível para laboratórios desde o ano passado. Segundo Paulo Franco, dependem que alguém “compre a ideia” para poder minimizar os impactos da dengue e das outras doenças causadas pelo mosquito.

Porém, a aplicação desta invenção pode ter um risco muito alto para o meio ambiente: se for utilizada em larga escala, além dos Aedes aegypti e Culex sp., outros insetos em estágio larval poderão ser atingidos. A consequência é a redução de insetos polinizadores, entre outros papéis ecológicos desempenhados pelos insetos, alterando a cadeia alimentar, o que pode até significar a redução de alimentos, podendo até desestabilizar ecossistemas inteiros e causar a extinção de espécies vegetais e animais.

Talvez por isso as empresas não estejam tão animadas para se envolver e patrocinar o produto; afinal, quem quer ser o possível responsável pela destruição de ecossistemas inteiros? Não é mesmo Samarco?”

No Vestibular

  1. (FUVEST) A figura representa parte de uma teia alimentar em uma plantação de couve, onde convivem vários tipos de insetos.

111

Fonte:http://www.cnpab.embrapa.br/publicacoes/artigo_controle_biologico.html.adaptado

Assinale a alternativa correta sobre essa teia alimentar.

a) Se a população de insetos 1 for eliminada, ocorrerá, inicialmente, uma diminuição na população de “vaquinhas”.
b) A população de insetos 6 ocupa a posição de decompositor na teia alimentar.
c) As populações de insetos 1, 2 e 3 ocupam a posição de consumidores terciários na teia alimentar.
d) O aumento da população de insetos 3 poderia auxiliar no controle de uma praga de pulgões.
e) Se a população de insetos 2 for eliminada, ocorrerá, inicialmente, aumento na população de insetos 4.

2. (UE-PB) O termo biomanipulação significa controle biológico para a recuperação ou melhoria das condições ambientais, nas quais pequenas mudanças nas relações biológicas podem produzir modificações favoráveis.” (Edmondson, 1991).

Na figura, observa-se uma cadeia alimentar de um lago em duas situações, com (B) e sem (A) piscívoros no topo da cadeia alimentar.

222

Dessas situações, pode-se concluir que:

I A redução de produtores primários, na situação B, depende diretamente do incremento de herbívoros, que sofrem fraca pressão de predação por consumidores de primeira ordem.

II A abundância de algas, na situação A, depende da ausência de piscívoros que liberam o estoque de consumidores de segunda ordem, aumentando seu poder de predação sobre os herbívoros.

III A redução de matéria orgânica na base da cadeia, na situação A, promovida em última análise pela ausência de predadores piscívoros, melhora as qualidade de luminosidade da água através do aumento de penetração de luz nas camadas mais profundas do lago.

IV O estoque de piscívoros dentro de um lago pode determinar a quantidade da regeneração ou depleção de elos subsequentes em efeito cascata em lagos.

Das afirmações acima, são verdadeiras somente:

a) II e IV.
b) I e IV.
c) III e IV.
d) I.
e) II.

+ There are no comments

Add yours