Alunos de Medicina só obterão diploma após prova do MEC

Alunos de Medicina só obterão diploma após prova do MEC


Novidade para os futuros estudantes de Medicina: a partir deste ano, alunos de todo o país farão avaliações nacionais obrigatórias a cada dois anos, durante o 2º, 4º e 6º anos do curso. Os que não obtiverem a nota mínima definida pelo Ministério da Educação (MEC) na última avaliação não poderão obter o Diploma e também não poderão ingressar na Residência Médica.

A Avaliação Nacional Seriada dos Estudantes de Medicina (Anasem) está prevista no Programa Mais Médicos (Lei 12.871/2013) e em Resolução do Conselho Nacional de Educação (CNE). De acordo com as normas, o prazo para que a avaliação começasse a ser aplicada termina este ano. A aplicação começará em agosto, pelos alunos do 2º ano de Medicina. Segundo o MEC, cerca de 20 mil estudantes farão a prova em 2016. À medida em que os alunos avançam nos estudos, as avaliações seguintes serão implementadas. A avaliação do 6º ano será aplicada em 2020.

De acordo com o anúncio foi feito pelo ministro da Educação, Aloizio Mercadante, esta Avaliação será um componente curricular obrigatório e os alunos e as instituições que não se inscreverem ou não participarem estarão sujeitos a “penalidades” que ainda não foram definidas.

As provas aplicadas aos alunos do 2º e 4º anos servirão apenas para testar os conhecimentos. O MEC poderá verificar a qualidade do ensino e, se necessário, fazer algum tipo de intervenção na instituição. “Quando a avaliação é feita no final, não tem como voltar. Quando é feita ao longo do curso, as instituições poderão aprimorar a formação. Será um salto de qualidade, sempre buscando aprimorar a formação dos médicos brasileiros”, diz Mercadante.

As provas aplicadas aos alunos do 6º ano requerem um bom desempenho para que os alunos se formem e obtenham o diploma. A média necessária para a aprovação será recalculada ano a ano. A Avaliação será também pré-requisito para que os estudantes recém-formados ingressem na Residência Médica. Os estudantes, no entanto, terão mais de uma oportunidade: aqueles que não obtiverem a nota necessária poderão refazer a prova.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) será responsável pela Avaliação. O conteúdo exigido obedecerá os moldes do Revalida – exame que certifica diplomas médicos expedidos por instituições estrangeiras para que passem a valer também no Brasil. “Isso vai permitir que as escolas de Medicina acompanhem a evolução de seus alunos e trabalhem para melhorar seu processo de formação”, disse o Reitor da Universidade Federal do Ceará (UFC), Henry Campos, da subcomissão do Revalida. A nota de corte final vai variar de acordo com a prova.

+ There are no comments

Add yours