Festival É Tudo Verdade 2016

Festival É Tudo Verdade 2016


A edição 2016 do festival É Tudo Verdade está bastante diversificada e, portanto, atraente. Destacam-se os documentários a seguir.
Fogo no Mar, de Gianfranco Rosi – ao contrário do que ocorreu com o seu documentário anterior, “Sacro GRA”, que ganhou, equivocadamente, o Leão de Ouro no festival de Veneza 2013, esse filme, sobre a crise de refugiados na Europa, ganhador do Urso de Ouro em Berlim 2016, foi bastante elogiado.
Gigante, de Zhao Liang – sobre o desastre ambiental causado pela mineração na Mongólia, ganhou o prêmios Signis e Green Drop em Veneza 2015.
Sob o Sol, de Vitaly Mansky – o veterano documentarista ucraniano conseguiu permissão para registrar, por um ano, a vida cotidiana em Pongyang, Coreia do Norte.
Vida Ativa – O Espírito de Hannah Arendt, de Ada Ushpiz – documentário sobre a filósofa alemã de origem judaica Hannah Arendt (que já foi retratada no filme de ficção “Hannah Arendt, Ideias que Chocaram o Mundo, 2012, de Margarethe von Trotta). Ganhou o Prêmio do Júri no festival de Santa Barbara.
Um Caso de Família, de Tom Fassaert – Prêmio Especial do Júri no festival de documentários de Amsterdã.
Allende, Meu Avô Allende, de Marcia Timbuti Allende – sobre o presidente deposto chileno Salvador Allende, ganhou o Prêmio Olho Dourado em Cannes.
Gabo, a Criação de Gabriel Garcia Marquez, de Justin Webster – sobre o escritor Gabriel Garcia Marquez, foi indicado ao prêmio Gaudi de documentário.
327 Cadernos Andrés Di Tella – já homenageado com uma retrospectiva em uma das edições do É Tudo Verdade, foi indicado o melhor documentário pela Academia de Artes Cinematográficas e Ciência da Argentina.
Não Pertenço a Lugar Algum – O Cinema de Chantal Akerman, de Marianne Lambert – documentário sobre a grande cineasta belga.
Anos Claros, de Frédéric Guillaume – filmado durante nove anos, foi selecionado para o festival de Cleveland.
Cidadão Rebelde, de Pamela Yates – sobre o diretor de fotografia Haskell Wexler (Um Estranho no Ninho, Quem Tem Medo de Virginia Woolf, No Calor da Noite), falecido em dezembro/2015.
Tudo Começou pelo Fim, de Luis Ospina – sobre o ‘Grupo de Calli’, formado por cineastas e escritores, durante os anos 1970 aos 1990.
Kate Interpreta Christine, de Robert Greene – prêmio de roteiro em Sundance.
Olympia 52, de Chris Marker – primeiro filme de Marker, documenário sobre as Olimpíadas de Helsinque.
Nacionais
As Incríveis Artimanhas da Nuvem Cigana, de Paola Vieira, Claudio Lobato Brasil – sobre o coletivo artístico Nuvem Cigana nos anos 1970, durante a ditadura militar.
Imagens do Estado Novo 1937-1945 , de Eduardo Escorel – sobre o período da ditadura de Getúlio Vargas.
Homenagem a Carlos Nader
Pan-Cinema Permanente – vencedor da edição de 2008
Homem Comum – vencedor da edição de 2014
A Paixão de JL – vencedor da edição de 2015
São Paulo, de 7 a 17 de abril
Rio de Janeiro: 8 a 17 de abril
São Paulo: CCSP – Centro Cultural São Paulo / Cinearte / Reserva Cultural  / Cinemateca Brasileira / Itaú Cultural / Cine Olido / CEU Butantã / CEU Meninos
Rio de Janeiro: Espaço Itaú Botagogo sala 3 / Espaço Itaú Botafogo sala 6 / Instituto Moreira Salles / Espaço Cultural BNDES
 
Sessões de abertura:
São Paulo:
“Fogo no Mar” (Fuocoammare)
Gianfranco Rosi Itália, França / 108′ / 2016
Cinearte – 07/04/2016 às 19h00
 
Rio de Janeiro:
“As Incríveis Artimanhas da Nuvem Cigana”
Paola Vieira, Claudio Lobato Brasil / 82′ / 2016
Espaço Cultural BNDES- 08/04/2016 às 20h00
Todos os Filmes:
 
Programação SP:
 
Programação RJ:
FILMES DESTACADOS:
 
327 Cadernos
327 Cuadernos; Andrés Di Tella; Argentina, Chile / 76′ / 2015
Depois de muito tempo lecionando em Princeton (EUA), o escritor Ricardo Piglia volta à Argentina natal. Propõe-se a tarefa hercúlea de revisar, pela primeira vez, seus diários pessoais, que ele anota há mais 50 anos, em 327 cadernos idênticos, de capa preta, que não são mais fabricados. Nesses cadernos, guardados em caixas de papelão, estão guardados não só os registros de toda uma vida, mas também memórias de meio século da história argentina, atravessada pela ascensão e derrocado do peronismo, a ditadura militar e a guerrilha dos anos 1970. Diante desse passado, deve manter o constante enfrentamento com a esclerose lateral amiotrófica, que abala seu corpo mas não sua mente.
São Paulo
Cinearte- 09/04/2016 às 19h00
Reserva Cultural – 10/04/2016 às 16h00
Rio de Janeiro
Espaço Itaú Botafogo – Sala 6 – 11/04/2016 às 21h00
Espaço Itaú Botafogo – Sala 3 – 12/04/2016 às 20h00
Allende meu Avô Allende
Allende mi Abuelo Allende; Marcia Tambutti Allende; México, Chile / 90′ / 2015
Décadas depois do golpe de Estado no Chile, que derrubou o presidente eleito Salvador Allende, em 1973, falar dele e do trágico passado não é frequente nem fácil, mesmo dentro do clã – cujos membros por anos permaneceram dispersos, no exílio em outros países, como o México, Peru, Cuba. Conversando com sua avó, viúva de Allende, sua mãe, uma tia, primos – que, como ela, eram crianças 42 anos atrás -, a diretora resgata fragmentos de lembranças, inúmeras fotos esquecidas e se arrisca mesmo a abordar temas-tabus.
São Paulo
Cinearte- 11/04/2016 às 15h00
Centro Cultural São Paulo – 13/04/2016 às 18h00
Rio de Janeiro
Espaço Itaú Botafogo – Sala 6 – 12/04/2016 às 15h00
Instituto Moreira Salles – 13/04/2016 às 16h00
Anos Claros
Les Années Claires; Frédéric Guillaume; Bélgica / 76′ / 2015
Filmado ao longo de quase dez anos, o documentário constitui uma crônica intimista de um trecho da vida do diretor Frédéric Guillaume. Às vésperas dos 30 anos, ele recebe a boa notícia de que o grande amor de sua vida, Claire, está grávida. O nascimento de sua filha, Juliette, e outros episódios desta relação familiar são compartilhados diante da câmera. Mas a felicidade sofre um abalo com a confissão de Claire de que algo se alterou em sua paixão por Frédéric. Mudando de tom, o filme se torna uma viagem dentro da dor e da incerteza e também um retrato do processo de amadurecimento de um homem no limiar dos 30 anos, para quem o cinema se tornou uma inesperada boia de salvação.
São Paulo
Reserva Cultural – 08/04/2016 às 22h00
Cinearte – 13/04/2016 às 17h00
Rio de Janeiro
Espaço Itaú Botafogo – Sala 6 – 09/04/2016 às 15h00
Espaço Itaú Botafogo – Sala 3 – 11/04/2016 às 18h00
As Incríveis Artimanhas
No Rio de Janeiro dos anos 1970, formou-se o coletivo artístico Nuvem Cigana, que reuniu poetas, artistas gráficos, fotógrafos e músicos, que implementaram diversas formas de expressão pública. Num tempo de repressão e ditadura, esses artistas cavaram espaços para encenações e espetáculos de poesia falada, produzindo livros mimeografados, capas de discos, almanaques, aproximando-se da cultura popular, através da formação de blocos de samba e também do futebol. Apagando fronteiras entre arte e vida, de olho na utopia, tornaram-se uma geração que desbravou caminhos, antes que a indústria cultural dominasse o panorama.
São Paulo
Cinearte – 10/04/2016 às 21h00
Cinearte – 17/04/2016 às 15h00
Rio de Janeiro
Espaço Cultural BNDES – 08/04/2016 às 20h00 Sessão de Abertura RJ
Espaço Itaú Botafogo – Sala 6 – 09/04/2016 às 19h00
Espaço Cultural BNDES – 14/04/2016 às 19h00 
Cidadão Rebelde
Rebel Citizen; Pamela Yates; EUA / 72′ / 2015
Muito mais do que um diretor de fotografia premiado com dois Oscars (“Quem tem medo de Virginia Woolf?”, em 1966, e “Esta terra é minha”, em 1976), Haskell Wexler (1922-2015) foi um documentarista engajado em causas progressistas. Este documentário destaca este lado menos conhecido de Wexler, que assina títulos fundamentais, como “The bus” (1963), filmado a bordo de um ônibus rumo à Marcha de Washington; “Medium Cool” (1969), pioneiro no uso de recursos ficcionais; “Brazil: A report on torture” (1971), denunciando a tortura na ditadura militar brasileira; e “Underground” (1976), sobre os ativistas fugitivos do Weather Underground e que lhe custou o emprego no filme “Um Estranho no Ninho” (1975).
São Paulo
Cinearte – 08/04/2016 às 17h00
Cinearte – 17/04/2016 às 17h00
Rio de Janeiro
Espaço Itaú Botafogo – Sala 6 -09/04/2016 às 17h00
Instituto Moreira Salles – 10/04/2016 às 14h00
Espaço Itaú Botafogo – Sala 3 – 16/04/2016 às 22h00
Fogo no Mar
Fuocoammare; Gianfranco Rosi; Itália, França / 108′ / 2016
Vencedor do Urso de Ouro no Festival de Berlim 2016, o documentário focaliza a crise dos refugiados na Europa a partir de Lampedusa, na Sicília. A bucólica ilha de pescadores tornou-se um posto avançado na maior crise humanitária da Europa desde o final da II Guerra Mundial, recebendo milhares de imigrantes em barcos precários, vindos da África ou do Oriente Médio. Além de vários resgates, realizados pela Guarda Costeira italiana, mostra-se a rotina de moradores, como o menino Samuele, filho de um pescador, e o médico Pietro Bartolo, o único da ilha e que já perdeu a conta de quantas autópsias realizou desde que começaram a chegar ali os primeiros barcos de refugiados, em 1991.
São Paulo
Cinearte – 07/04/2016 às 19h00 Sessão de Abertura SP
Reserva Cultural – 08/04/2016 às 20h00
Rio de Janeiro
Espaço Itaú Botafogo – Sala 6 – 17/04/2016 às 17h00
 
Gabo: a Criação de Gabriel Gárcia Márquez
Gabo: la Creación de Gabriel García Márquez; Justin Webster; Espanha, Colômbia / 90′ / 2015
O documentário do britânico Justin Webster explora os caminhos inseparáveis da vida e da obra do escritor Gabriel García Márquez (1927-2014), especulando como o menino nascido num obscuro vilarejo colombiano, Aracataca, transforma-se em jornalista e escritor vencedor do Nobel de Literatura. Transformando suas memórias infantis na matéria-prima de uma sensibilidade mágica, ancorada num constante engajamento político e social, Márquez incendiou a imaginação de milhões de leitores nos quatro cantos do mundo.
São Paulo
Cinearte – 09/04/2016 às 13h00
Centro Cultural São Paulo – 10/04/2016 às 20h00
Rio de Janeiro
Instituto Moreira Salles  – 12/04/2016 às 16h00
Espaço Itaú Botafogo – Sala 6 – 16/04/2016 às 17h00
Instituto Moreira Salles – 17/04/2016 às 14h00
Gigante
(Bēi Xī Móshòu); Zhao Liang; França / 90′ / 2015
Denunciando o desastre ecológico provocado pelo avanço da mineração no interior da Mongólia, o filme retrata, com imagens impressionantes, a rápida devastação de pastos verdejantes, que sustentaram por séculos as tradicionais atividades pastoris, substituídos pela terra arrasada deixada no rastro da exploração intensiva de minas de ferro e carvão. Recorrendo a passagens de “A Divina Comédia”, de Dante Alighieri, o diretor Zhao Liang comenta este modelo de desenvolvimento predatório, em que o custo humano é igualmente altíssimo – como atestam as imagens de hospitais, lotados de mineiros com saúde comprometida pelas condições insalubres de sua profissão.
São Paulo
Reserva Cultural- 07/04/2016 às 14h00
Cinearte – 12/04/2016 às 15h00
Rio de Janeiro
Espaço Itaú Botafogo – Sala 6 – 09/04/2016 às 13h00
Espaço Itaú Botafogo – Sala 3 – 11/04/2016 às 14h00
Imagens do Estado Novo 1937-45
Imagens do Estado Novo 1937-45; Eduardo Escorel; Brasil / 227′ / 2016
Recorrendo a vasto material de arquivo, entre cine-jornais, fotografias, cartas, filmes familiares e de ficção, trechos de diário e canções populares, o documentário reavalia a herança do período ditatorial de Getúlio Vargas (1937-1945). Através da comparação e análise desses registros heterogêneos, produzidos para fins diversos, da propaganda política à celebração familiar, o filme explora as diversas camadas da trama política do regime do Estado Novo, expondo suas fontes de inspiração externas, sua forma de funcionamento e contradições.
São Paulo
Cinearte    – 15/04/2016 às 19h00
Cinearte – 16/04/2016 às 13h00
Rio de Janeiro
Espaço Itaú Botafogo – Sala 6- 10/04/2016 às 17h00
Espaço Itaú Botafogo – Sala 6 – 11/04/2016 às 13h00
Kate Interpreta Christine
Kate Plays Christine; Robert Greene; EUA / 110′ / 2016
Em 15 de julho de 1974, Christine Chubbuck, jornalista de uma emissora de TV de Sarasota, Flórida, entrou em seu estúdio, como todos os dias, para apresentar seu programa sobre assuntos locais. Chocando a todos, tirou um revólver calibre 38 de um saco de papel e suicidou-se ao vivo. Mais de 40 anos depois, ainda se especula sobre as reais razões desse ato. Neste filme, a atriz Kate Lyn Sheil (do seriado “House of Cards”) aceita a tarefa de encarnar o papel da repórter, mudando-se para sua cidade e percorrendo os locais que ela frequentava. A ideia é não só reconstituir uma trajetória marcada pela depressão mas também explorar os limites da encenação e do espetáculo.
São Paulo
Reserva Cultural – 11/04/2016 às 14h00
Cinearte – 15/04/2016 às 17h00
Rio de Janeiro
Espaço Itaú Botafogo – Sala 3 – 14/04/2016 às 20h00
Espaço Itaú Botafogo – Sala 6 – 15/04/2016 às 17h00
 
Não Pertenço a Lugar Algum – O Cinema de Chantal Akerman
I Don‘t Belong Anywhere – Le cinéma de Chantal Akerman; Marianne Lambert; Bélgica / 67′ / 2015
Partindo de uma longa convivência profissional com a cineasta Chantal Akerman (1950-2015), a diretora Marianne Lambert explora por diversos caminhos a peculiaridade do estilo da realizadora belga, autora de mais de 40 obras, entre documentários, filmes experimentais e ensaísticos. Visitando diversos locais por onde ela viajou, entre Bruxelas, Nova York, Paris e Tel Aviv, e entrevistando pessoas como sua montadora, Claire Atherton, o documentário materializa a procura e as escolhas de Akerman, os postulados estéticos de sua linguagem e sua disposição permanente de tolher a zona de conforto do espectador em proveito de um mergulho na radicalidade.
São Paulo
Cinearte – 14/04/2016 às 19h00
Rio de Janeiro
Espaço Itaú Botafogo – Sala 6 – 16/04/2016 às 21h00
Olympia 52
Olympia 52; Chris Marker; Finlândia, França / 55′ / 1954
Primeiro filme do realizador Chris Marker – que foi também um de seus quatro câmeras – acompanha as Olimpíadas de Helsinque, em 1952, as primeiras com a participação da URSS, sob o signo da Guerra Fria. Fixando-se na humanidade dos atletas, mais do que na grandeza de seus feitos, o documentário prenuncia o estilo poético-irônico do cineasta francês.
São Paulo
Reserva Cultural – 12/04/2016 às 14h00
Cinemateca Brasileira – 14/04/2016 às 17h00
Rio de Janeiro
Espaço Itaú Botafogo – Sala 3 – 10/04/2016 às 16h00
Espaço Itaú Botafogo – Sala 3 – 13/04/2016 às 16h00
 
Sob o Sol
(V luchakh solnca); Vitaly Mansky; Rússia, Letónia , Alemanha, República Checa , Coreia do Norte / 106′ / 2015
Para obter permissão para filmar, por um ano, a vida cotidiana em Pongyang, Coreia do Norte, o cineasta Vitaly Manzky teve que aceitar o controle de representantes do governo sobre o roteiro, as locações e o comportamento de uma família, que seria personagem do filme. O foco está na menina Zin-mi, que se prepara para celebrar o Dia da Estrela Brilhante, ou seja, o aniversário do líder supremo, Kim Jong-il. Apesar de as autoridades terem censurado as imagens, o resultado deste documentário é o oposto do que pretendiam. Deixando a câmera rodando enquanto os prepostos orientam cada tomada, ele expõe a manipulação e a tentativa de fabricação de um país ideal que só existe no discurso oficial.
São Paulo
Reserva Cultural – 12/04/2016 às 22h00
Cinearte – 14/04/2016 às 17h00
Rio de Janeiro
Espaço Itaú Botafogo – Sala 3 – 14/04/2016 às 22h00
Espaço Itaú Botafogo – Sala 6 – 15/04/2016 às 15h00
 
Tudo Começou pelo Fim
Todo Comenzó por el Fin; Luis Ospina; Colômbia / 208′ / 2015
O diretor colombiano Luis Ospina volta-se para o período de 20 anos, entre 1971 e 1991, para recontar não só uma parte importante da própria vida, como do trio que se tornou conhecido como “Grupo de Cali”, ou “Caliwood”. Ou seja, ele mesmo, o escritor e crítico Andrés Caicedo e o cineasta Carlos Mayolo, num tempo em que, na Cali que aos poucos era dominada pelo narcotráfico, dedicavam-se ao que mais gostavam – sexo, drogas, rock, rumba e fazer cinema. Paralelamente a esse resgate das memórias do grupo, Ospina defrontou-se com um diagnóstico de câncer, o que o levou a mergulhar numa experiência mais profunda em torno de mortalidade e sobrevivência.
São Paulo
Reserva Cultural – 07/04/2016 às 20h00
Cinearte – 12/04/2016 às 17h00
Rio de Janeiro
Espaço Itaú Botafogo – Sala 3 – 09/04/2016 às 18h00
Espaço Itaú Botafogo – Sala 6 – 13/04/2016 às 17h00
 
Um Caso de Família
A Family Affair; Tom Fassaert; Holanda, Bélgica, Dinamarca / 116′ / 2015
Para o cineasta Tom Fassaert, sua avó paterna, Marianne Hertz, sempre foi um mistério. Ele a conheceu por contatos esparsos e, particularmente, pelas histórias negativas que seu pai, Rob, sempre lhe contou sobre ela – como a de que sua mãe era uma mulher fatal, devoradora de homens, que pôs os filhos num orfanato e abandonou a família para viver na África do Sul. Quando Tom completa 30 anos, recebe um inesperado convite da avó para visitá-la. Decide, então, que esta será uma excelente oportunidade para confrontar os diferentes mitos em torno dela e dar-lhe a chance de contar diante da câmera sua própria versão dos fatos.
São Paulo
Reserva Cultural – 09/04/2016 às 14h00
Cinearte – 11/04/2016 às 17h00
Rio de Janeiro
Espaço Itaú Botafogo – Sala 3 – 13/04/2016 às 20h00
Espaço Itaú Botafogo – Sala 6 – 15/04/2016 às 19h00
 
Vita Activa – O Espírito de Hannah Arendt
Hannah Arendt, Habiografia Harukhanit; Ada Ushpiz; Israel, Canadá / 124′ / 2015
Vivendo em tempos obscuros, marcados pelo nazismo e o fascismo, a filósofa alemã Hannah Arendt (1906-1975) foi capaz de discernir ideias dramaticamente importantes, como o conceito da “banalidade do mal”, incompreendido em sua época. Através de fotos, filmes caseiros e depoimentos de seus contemporâneos, o filme resgata a figura de uma intelectual que elevou a independência e a transgressão a um novo patamar, deixando um legado que se torna cada vez mais relevante.
São Paulo
Reserva Cultural – 10/04/2016 às 20h00
Itaú Cultural – 12/04/2016 às 16h00
Rio de Janeiro
Instituto Moreira Salles – 12/04/2016 às 20h00
Espaço Itaú Botafogo – Sala 3 – 12/04/2016 às 22h00
 
RETROSPECTIVA BRASILEIRA; CARLOS NADER
 
Pan-Cinema Permanente
Pan-Cinema Permanente; Carlos Nader; Brasil / 83′ / 2008
Grande vencedor do É Tudo Verdade 2008, o filme revela algumas das muitas facetas do poeta e compositor baiano Waly Salomão (1943-2003). Cedo descobriu a poesia. Aproximou-se do artista plástico Hélio Oiticica e dos tropicalistas no final dos anos 60, tornando-se parceiro de Caetano Veloso e Jards Macalé. Contém várias imagens inéditas, fruto de filmagens ao longo de 15 anos.
São Paulo
Reserva Cultural – 10/04/2016 às 18h00
Cinemateca Brasileira – 17/04/2016 às 17h00
Rio de Janeiro
Espaço Itaú Botafogo – Sala 3 – 15/04/2016 às 16h00
Instituto Moreira Salles – 17/04/2016 às 16h00
 
Pan-Cinema Permanente
Pan-Cinema Permanente; Carlos Nader; Brasil / 83′ / 2008
Grande vencedor do É Tudo Verdade 2008, o filme revela algumas das muitas facetas do poeta e compositor baiano Waly Salomão (1943-2003). Cedo descobriu a poesia. Aproximou-se do artista plástico Hélio Oiticica e dos tropicalistas no final dos anos 60, tornando-se parceiro de Caetano Veloso e Jards Macalé. Contém várias imagens inéditas, fruto de filmagens ao longo de 15 anos.
São Paulo
Reserva Cultural – 10/04/2016 às 18h00
Cinemateca Brasileira – 17/04/2016 às 17h00
Rio de Janeiro
Espaço Itaú Botafogo – Sala 3 – 15/04/2016 às 16h00

+ There are no comments

Add yours