BREXIT – A separação do Reino Unido da União Europeia

BREXIT – A separação do Reino Unido da União Europeia


Os britânicos decidiram deixar a União Europeia (UE), após um referendo votado na sexta feira dia 24 de junho. Com mais de 1,2 milhão de votos de diferença, o resultado da consulta empurra o bloco econômico e político criado após a Segunda Guerra Mundial para uma profunda crise.

Essa recente decisão trouxe muito mais perguntas do que respostas a respeito da votação. A seguir, você encontra algumas questões a respeito do tema.

Qual é a diferença entre Reino Unido, Grã-Bretanha e Inglaterra?

Para entender melhor, observe o mapa a seguir:

blog-brexit02

A Inglaterra é o país que foi pioneiro no processo de industrialização da humanidade, considerado, por muito tempo, o país mais desenvolvido do mundo, antes da hegemonia atual dos Estados Unidos. A capital da Inglaterra é Londres.

A Grã-Bretanha é uma ilha formada por Inglaterra, País de Gales e Escócia. Trata-se, na verdade, de uma região, e não de um território.

O Reino Unido é um Estado formado pelos três países da Grã-Bretanha (Inglaterra, País de Gales e Escócia) e mais a Irlanda do Norte, situada na ilha localizada a oeste, juntamente à Irlanda, que é um país independente. O Reino Unido é administrado pela Inglaterra. Seu chefe de é a Rainha da Inglaterra, em conjunto com um Primeiro-Ministro eleito.

O que é ‘Brexit’?

‘Brexit’ é a abreviação das palavras em inglês Britain (Grã-Bretanha) e exit (saída). Designa a saída do Reino Unido da União Europeia. Os partidários da permanência no bloco usavam a designação “in” ou remain.

Qual foi a pergunta feita ao povo no referendo?

Os eleitores deveriam responder à seguinte pergunta feita na cédula eleitoral:

“Deve o Reino Unido permanecer como membro da União Europeia ou sair da União Europeia?”

As duas únicas respostas possíveis eram “permanecer” e “sair”.

Qual era a situação do Reino Unido na União Europeia?

A União Europeia é uma união econômica e política composta por 28 países. Sua origem remonta à Comunidade Econômica Europeia (CEE), criada em 1957 por seis países que assinaram o Tratado de Roma. O Reino Unido aderiu à CEE em 1973.

E, apesar de integrar desde 1993 o mercado único e a livre circulação de bens e pessoas, o Reino Unido optou por não adotar o euro, mantendo sua própria moeda, a libra esterlina.

Em 1992, a CEE passou a se chamar UE. Há anos, o Reino Unido mantém com a UE uma relação complexa, permeada por temas como centralização X autonomia nacional.

blog-brexit03

Quais são os próximos passos dessa separação?

O processo para encerrar os 40 anos de união entre o país e o bloco não é automático. Pelo contrário, anuncia-se um divórcio difícil, porque deve ser negociado com os outros 27 membros do bloco. É a primeira vez que isso acontece.

A negociação com os outros países no Parlamento Europeu é muito complexa, já que exige rescisão de tratados internacionais. Só com a União Europeia, há pelo menos 80 mil páginas de acordos. Por isso, após a negociação, é provável que exista uma fase de transição.

Qual será o impacto da separação para os imigrantes que moram no Reino Unido?

O impacto na legislação interna britânica também será grande. Para começar, o Parlamento precisa derrubar os atos que dão primazia à lei europeia sobre a britânica.

Isso implica, entre outras decisões, estabelecer uma nova política migratória. Quem atualmente se beneficia das regras de livre circulação no bloco passará a se submeter às regras estabelecidas pela legislação nacional britânica.

Analistas e políticos dizem que a mudança será gradual e que ninguém terá de deixar o país da noite para o dia.

Atualmente, cerca de 3 milhões de cidadãos europeus vivem no Reino Unido, vindos principalmente da Polônia (850 mil), da República da Irlanda (330 mil) e de diversos países do antigo bloco soviético. Eles podem pedir a residência permanente no Reino Unido quando completarem cinco anos vivendo no país. Após o Brexit, o Certificado de Residência Permanente para Cidadão da UE deve deixar de ter validade.

A autorização para viver no Reino Unido indefinidamente (Indefinite Leave to Remain), regida pela legislação nacional, não deve ser modificada. Nos dois casos, a cidadania só é obtida um ano depois do migrante mostrar o domínio da língua e ter conhecimento básico do funcionamento da sociedade britânica.

Qual será o impacto da separação para os países que compõem o Reino Unido?

A disputa apertada e as disparidades entre os países que compõem o Reino Unido (Inglaterra, Escócia, Irlanda do Norte e País de Gales) vão deixar sequelas.

O placar final do referendo mostrou uma diferença de apenas 1,2 milhão de votos.

A Escócia (66%) e a Irlanda do Norte (56%), que votaram majoritariamente pela permanência na UE, já discutem a possibilidade de se tornarem independentes do Reino Unido.

Na Escócia, o resultado impulsiona um novo debate sobre a independência.

Na Irlanda do Norte, lideranças republicanas, favoráveis a uma reunificação com a Irlanda também cogitaram a possibilidade de um plebiscito sobre independência.

Quais são os impactos da separação para a economia britânica?

Essa saída da UE afeta a economia do Reino Unido de forma fundamental, porque uma série de benefícios comerciais oferecidos pelo bloco serão revistos. Mas ainda é cedo para traçar uma previsão. Resta saber se a União Europeia vai querer negociar essas questões em separado e, ainda, como as autoridades do Reino Unido vão organizar uma ofensiva comercial para conquistar novos mercados.

Após o a divulgação do resultado do referendo, a libra esterlina, moeda do Reino Unido, despencou e atingiu o menor valor frente ao dólar em 31 anos.

Como a decisão do Reino Unido pode influenciar outros países do bloco?

Os grupos políticos nacionalistas de outros países da Europa devem ganhar mais espaço para o seu discurso após a decisão do Reino Unido. Podemos começar a ouvir, em vários países europeus, que: “os britânicos saíram da UE e, se eles saíram, tem algo errado”. Não é possível avaliar, entretanto, se as populações de outros países vão “comprar” esses discursos. Vai depender se as autoridades que defendem a União Europeia vão conseguir combater esse discurso”.

QUESTÕES RECENTES DE VESTIBULARES QUE ABORDAM A UNIÃO EUROPEIA

1. A União Europeia é formada por 27 países que foram aderindo aos poucos aos países fundadores: Alemanha, Bélgica, França, Itália, Luxemburgo e Holanda. Essa organização tem por objetivo propiciar a cooperação econômica e política dos seus membros. Analise as afirmativas que apresentam os objetivos da União Europeia.

I – Integrar as políticas relativas ao sistema judiciário e aos impostos sobre importação e exportação;

II – Aperfeiçoar as condições de livre comércio entre os países-membros;

III – Reduzir as desigualdades sociais e econômicas entre as regiões;

IV – Fomentar o desenvolvimento econômico dos países em fase de crescimento.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas I, III e IV são verdadeiras.

b) Somente as afirmativas II e IV são verdadeiras.

c) Somente as afirmativas II e III são verdadeiras.

d) Somente a afirmativa III é verdadeira.

e) Todas as afirmativas são verdadeiras.

2. “Desde 1º de janeiro de 2002, o euro, a nova moeda comum europeia, deixou de ser virtual para se tornar realidade. Na maior troca monetária já realizada na história, o euro substituiu 12 moedas, tornando-se o meio de pagamento oficial daqueles países. Isso significa que, passado o período de dupla circulação, 12 moedas europeias deixaram de existir; é o caso, por exemplo, do marco alemão, uma das moedas mais estáveis do mundo; assim como da dracma grega, cujo nome tem suas origens no século 6 a.C”.

“Saiba por que o Euro foi criado”. Folha Online, 18/04/2009. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/

Entre as consequências da criação do euro, podemos citar:

O alinhamento dos preços das mercadorias e serviços entre os países;

Dinamização das relações econômicas empresariais no mercado financeiro;

III. Derrubada gradativa das fronteiras entre os países que adotaram a nova moeda;

VI. Fim das dívidas externas desses países com o FMI, por possuírem, agora, uma moeda mais poderosa.

Estão corretas as afirmações:

a) I e II

b) III e IV

c) I, II e III

d) II, III, IV

e) I, II e IV

3. “UE criará sistema unificado de eletricidade em 2015. Com geração regional, o bloco soma prejuízos de US$ 5,4 bilhões. Integração seria uma forma de ganhar sinergias” (Veja, 25/09/2013).

O texto acima revela uma importante etapa de integração dos países europeus através da União Europeia. Tal integração é considerada importante, pois:

a) há uma preocupação presente em toda Europa sobre o desmembramento econômico do continente.

b) é uma forma de se precaver diante da iminente ameaça de invasão militar dos Estados Unidos.

c) poderá tornar a Europa novamente o principal centro econômico e político do mundo.

d) será uma estratégia de combater os avanços desenfreados da Globalização sobre a Europa.

Gabarito:

1. E; 2. A; 3. C

Fontes de referência:

http://novaescola.org.br/geografia/fundamentos/geografia-diferenca-inglaterra-gra-bretanha-reino-unido-450810.shtml

http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/geografia/diferenca-entre-reino-unido-grabretanha-inglaterra.htm?cmpid=fb-uolnot

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/celso-rocha-de-barros/2016/06/1785954-brexit.shtml?cmpid=compfb

+ There are no comments

Add yours