Saiba como cinco universidades públicas de São Paulo usam a nota do Enem

Saiba como cinco universidades públicas de São Paulo usam a nota do Enem


USP, Unicamp, Unesp, Unifesp e UFSCar, cinco das mais desejadas universidades do Brasil, usam o desempenho no Enem de diversas maneiras: para compor nota do vestibular, como 1ª fase do vestibular ou ainda como única forma de ingresso. Veja abaixo como cada uma delas vai empregar as notas em 2018.

USP
A grande maioria dos cursos da USP têm reserva de vagas para ingresso via SiSU. No entanto, a divisão não é homogênea. As engenharias da Poli, por exemplo, abriram apenas para ampla concorrência, enquanto os cursos da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade abriram apenas para egressos de escola pública e a Medicina na Capital dividiu posições entre as duas categorias.
A lista completa de vagas por curso, com o peso para cada uma das provas do Enem e a nota mínima para inscrição você encontra nos links abaixo:
Veja a distribuição de vagas para os cursos de Biológicas
Veja a distribuição de vagas para os cursos de Exatas
Veja a distribuição de vagas para os cursos de Humanas
Leia o resumo do Manual da Fuvest

Unesp
A Universidade Estadual Paulista não tem vagas destinadas ao SiSU, mas a nota do Enem pode aumentar a nota no vestibular, desde que o resultado seja disponibilizado até a data limite publicada em edital – dia 22 de janeiro para o vestibular 2018 – e que o aluno tenha indicado sua utilização quando se inscreveu para as provas.

A nota da prova da primeira fase da Unesp é obtida de acordo com a fórmula:
Nota Prova 1 = (número de respostas certas x 100)/90, com nota máxima de 100,000.

O Enem será usado apenas se a média do percentual de acerto das provas objetivas, sem levar em conta a Teoria de Resposta ao Item, for maior que a Nota da Prova do candidato. Nesse caso a fórmula passa a ser:
Nota Fase 1 = [(4 x Nota da Prova 1) + (1 x Enem)]/5

Vale lembrar que os candidatos são convocados para a segunda fase sem levar em conta a nota do Enem, ela será utilizada posteriormente para aumentar a nota da 1ª fase, se for o caso. Se a nota do Enem for menor que a nota da prova, ela será desconsiderada.

A nota final de classificação é a média aritmética simples das notas da 1ª e da 2ª fase, podendo ser, no máximo, 100. A 1ª chamada será divulgada no dia 07 de fevereiro.
Leia o resumo do Manual da Unesp

Unicamp
Assim como a Unesp, a Universidade Estadual de Campinas utiliza a nota do Enem para compor a nota final da 1ª fase apenas para os candidatos que tenham autorizado sua utilização na inscrição do vestibular. O edital prevê, inclusive, que a nota seja usada já para a classificação para a 2ª fase. No entanto, como a data limite de liberação das notas pelo Inep para esse caso é 4 de dezembro, essa possibilidade é praticamente descartada, permanecendo o uso apenas para o cálculo da classificação final.

Para a padronização da nota , a universidade aplica a seguinte fórmula: NPE = 500 + (NE – ME) x 100/DPE, onde NE é a soma das questões certas do Enem nas provas de múltipla escolha, ME é a média de NE entre todos os candidatos que indicaram o uso do Enem e DPE é o desvio padrão de NE entre todos os candidatos presentes que indicaram o uso do Enem. A NPE será arredondada para o resultado mais próximo da multiplicação de um inteiro por 0,1.

Se o resultado for maior que a nota padronizada obtida na prova da 1ª fase do vestibular sem o uso do desempenho do Enem, então a nota final será calculada de acordo com a fórmula Nota Fase 1= (0,8 x Nota da Prova)+ (0,20 x NPE).

Assim como a Unesp, os alunos são chamados para a 2ª fase sem levar em conta o desempenho no Enem. A nota de classificação final é calculada de acordo com a fórmula NPO = (0,30 x Nota da Fase 1) + (0,2 x Nota da Redação) + (0,5 x Nota da Fase 2). Vale lembrar que as provas da segunda fase são as mesmas para todos os candidatos, mas têm pesos diferentes na composição da nota de acordo com a carreira escolhida (veja a tabela aqui). A 1ª chamada será divulgada no dia 08 de fevereiro.
Leia o resumo do Manual da Unicamp.

Unifesp
A maior parte dos cursos da Universidade Federal de São Paulo utiliza a nota do Enem como única forma de ingresso. Os cursos de Medicina, Fonoaudiologia, Engenharia Química e Ciências Biológicas, no entanto, usam o sistema misto, composto pelo desempenho do Enem e de uma segunda fase. Em ambas as modalidades, 50% das vagas são para ampla concorrência e 50% para ações afirmativas, divididas em oito categorias diferentes.
A lista completa de vagas para entrada apenas pelo Sisu, por curso, com o peso para cada uma das provas do Enem e a nota mínima para inscrição será divulgada em novembro.

Quem optar por um curso do sistema misto, além de fazer o Enem, deve prestar uma segunda fase, aplicada em dois dias. No primeiro são 45 questões objetivas, sendo 30 de Língua Portuguesa e 15 de Língua Inglesa, e a Redação. No segundo são 20 questões dissertativas, sendo 5 de Biologia, 5 de Química, 5 de Matemática e 5 de Física.

O cálculo da nota é feito da seguinte maneira:
– a parte objetiva da prova do Enem, sem a variação da Teoria de Resposta ao Item, é convertida na escala de 0 a 100;
– a soma dos pontos de inglês e português – no máximo 45 – com a nota da redação – no máximo 50 – é multiplicada por 100 e dividida por 95, atingindo valor máximo 100;
– a soma dos pontos obtidos nas 20 questões das demais provas – no máximo 80 – é multiplicada por 100 e dividida por 80, também com valor máximo 100.
Ao final, a média aritmética simples das três provas será a nota de classificação do candidato. A 1ª chamada será divulgada no dia 30 de janeiro.

UFSCar
A Universidade Federal de São Carlos tem 100% da admissão feita pelo SiSU. São 2.897 vagas para ingresso em 64 opções de cursos de graduação distribuídas nos campi de São Carlos, Araras, Sorocaba e Lagoa do Sino, em Buri.

Após o resultado do Enem ser liberado, os estudantes fazem a inscrição no SiSU, escolhendo o curso em que pretendem ingressar. A única exceção é Licenciatura em Música, que exige também a inscrição do estudante para um prova de conhecimento e habilidade específica.
Veja como ficaram as notas de corte em 2017.

Mais Enem: veja nesse link quais universidades portuguesas aceitam a nota como critério de acesso.

4 Comments

Add yours
    • 4
      cpveducacional

      Oi, Denis. Os arquivos de vagas da Fuvest são da própria instituição. As tabelas foram divulgadas em julho, com todas as novidades para o vestibular 2018.

+ Leave a Comment