Saiba como cinco universidades públicas de São Paulo usam a nota do Enem

Saiba como cinco universidades públicas de São Paulo usam a nota do Enem


USP, Unicamp, Unesp, Unifesp e UFSCar, cinco das mais desejadas universidades do Brasil, usam o desempenho no Enem de diversas maneiras: para compor nota do vestibular, como 1ª fase do vestibular ou ainda como única forma de ingresso. Veja abaixo como cada uma delas vai empregar as notas em 2018.

Foi para a 2ª fase de Fuvest? Você tem 50% de desconto no CPV. Quer tentar 100%? Inscreva-se no Exame de Bolsa

 

 

USP
A grande maioria dos cursos da USP têm reserva de vagas para ingresso via SiSU. No entanto, a divisão não é homogênea. As engenharias da Poli, por exemplo, abriram apenas para ampla concorrência, enquanto os cursos da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade abriram apenas para egressos de escola pública e a Medicina na Capital dividiu posições entre as duas categorias.
A lista completa de vagas por curso, com o peso para cada uma das provas do Enem e a nota mínima para inscrição você encontra nos links abaixo:
Veja a distribuição de vagas para os cursos de Biológicas
Veja a distribuição de vagas para os cursos de Exatas
Veja a distribuição de vagas para os cursos de Humanas
Leia o resumo do Manual da Fuvest

Unesp
A Universidade Estadual Paulista não tem vagas destinadas ao SiSU, mas a nota do Enem pode aumentar a nota no vestibular, desde que o resultado seja disponibilizado até a data limite publicada em edital – dia 22 de janeiro para o vestibular 2018 – e que o aluno tenha indicado sua utilização quando se inscreveu para as provas.

A nota da prova da primeira fase da Unesp é obtida de acordo com a fórmula:
Nota Prova 1 = (número de respostas certas x 100)/90, com nota máxima de 100,000.

O Enem será usado apenas se a média do percentual de acerto das provas objetivas, sem levar em conta a Teoria de Resposta ao Item, for maior que a Nota da Prova do candidato. Nesse caso a fórmula passa a ser:
Nota Fase 1 = [(4 x Nota da Prova 1) + (1 x Enem)]/5

Vale lembrar que os candidatos são convocados para a segunda fase sem levar em conta a nota do Enem, ela será utilizada posteriormente para aumentar a nota da 1ª fase, se for o caso. Se a nota do Enem for menor que a nota da prova, ela será desconsiderada.

A nota final de classificação é a média aritmética simples das notas da 1ª e da 2ª fase, podendo ser, no máximo, 100. A 1ª chamada será divulgada no dia 07 de fevereiro.
Leia o resumo do Manual da Unesp

Unicamp
Assim como a Unesp, a Universidade Estadual de Campinas utiliza a nota do Enem para compor a nota final da 1ª fase apenas para os candidatos que tenham autorizado sua utilização na inscrição do vestibular. O edital prevê, inclusive, que a nota seja usada já para a classificação para a 2ª fase. No entanto, como a data limite de liberação das notas pelo Inep para esse caso é 4 de dezembro, essa possibilidade é praticamente descartada, permanecendo o uso apenas para o cálculo da classificação final.

Para a padronização da nota , a universidade aplica a seguinte fórmula: NPE = 500 + (NE – ME) x 100/DPE, onde NE é a soma das questões certas do Enem nas provas de múltipla escolha, ME é a média de NE entre todos os candidatos que indicaram o uso do Enem e DPE é o desvio padrão de NE entre todos os candidatos presentes que indicaram o uso do Enem. A NPE será arredondada para o resultado mais próximo da multiplicação de um inteiro por 0,1.

Se o resultado for maior que a nota padronizada obtida na prova da 1ª fase do vestibular sem o uso do desempenho do Enem, então a nota final será calculada de acordo com a fórmula Nota Fase 1= (0,8 x Nota da Prova)+ (0,20 x NPE).

Assim como a Unesp, os alunos são chamados para a 2ª fase sem levar em conta o desempenho no Enem. A nota de classificação final é calculada de acordo com a fórmula NPO = (0,30 x Nota da Fase 1) + (0,2 x Nota da Redação) + (0,5 x Nota da Fase 2). Vale lembrar que as provas da segunda fase são as mesmas para todos os candidatos, mas têm pesos diferentes na composição da nota de acordo com a carreira escolhida (veja a tabela aqui). A 1ª chamada será divulgada no dia 08 de fevereiro.
Leia o resumo do Manual da Unicamp.

Unifesp
A maior parte dos cursos da Universidade Federal de São Paulo utiliza a nota do Enem como única forma de ingresso. Os cursos de Medicina, Fonoaudiologia, Engenharia Química e Ciências Biológicas, no entanto, usam o sistema misto, composto pelo desempenho do Enem e de uma segunda fase. Em ambas as modalidades, 50% das vagas são para ampla concorrência e 50% para ações afirmativas, divididas em oito categorias diferentes.
A lista completa de vagas para entrada apenas pelo Sisu, por curso, com o peso para cada uma das provas do Enem e a nota mínima para inscrição será divulgada em novembro.

Quem optar por um curso do sistema misto, além de fazer o Enem, deve prestar uma segunda fase, aplicada em dois dias. No primeiro são 45 questões objetivas, sendo 30 de Língua Portuguesa e 15 de Língua Inglesa, e a Redação. No segundo são 20 questões dissertativas, sendo 5 de Biologia, 5 de Química, 5 de Matemática e 5 de Física.

O cálculo da nota é feito da seguinte maneira:
– a parte objetiva da prova do Enem, sem a variação da Teoria de Resposta ao Item, é convertida na escala de 0 a 100;
– a soma dos pontos de inglês e português – no máximo 45 – com a nota da redação – no máximo 50 – é multiplicada por 100 e dividida por 95, atingindo valor máximo 100;
– a soma dos pontos obtidos nas 20 questões das demais provas – no máximo 80 – é multiplicada por 100 e dividida por 80, também com valor máximo 100.
Ao final, a média aritmética simples das três provas será a nota de classificação do candidato. A 1ª chamada será divulgada no dia 30 de janeiro.

UFSCar
A Universidade Federal de São Carlos tem 100% da admissão feita pelo SiSU. São 2.897 vagas para ingresso em 64 opções de cursos de graduação distribuídas nos campi de São Carlos, Araras, Sorocaba e Lagoa do Sino, em Buri.

Após o resultado do Enem ser liberado, os estudantes fazem a inscrição no SiSU, escolhendo o curso em que pretendem ingressar. A única exceção é Licenciatura em Música, que exige também a inscrição do estudante para um prova de conhecimento e habilidade específica.
Veja como ficaram as notas de corte em 2017.

Mais Enem: veja nesse link quais universidades portuguesas aceitam a nota como critério de acesso.

4 Comments

Add yours
    • 4
      cpveducacional

      Oi, Denis. Os arquivos de vagas da Fuvest são da própria instituição. As tabelas foram divulgadas em julho, com todas as novidades para o vestibular 2018.

+ Leave a Comment