Mostra Internacional de Cinema: sétimo dia.


 

Quatro pessoas que se identificam por nomes de montanhas formam os “Alpes”. Elas são selecionadas no ginásio de um colégio para substituir pessoas queridas e  recentemente falecidas, ajudando as famílias em luto a lidarem com a perda. Incorporam os mortos com precisão, nos gestos, nas roupas e no comportamento. Até que o líder coloca tudo a perder…

Esta é uma paráfrase da sinopse do filme ALPES, do grego Yorgos Lanthimos, o jovem diretor  de  DENTE CANINO, premiado em Cannes e exibido com sucesso na penúltima Mostra. O filme é a radicalidade dentro da radicalidade e a prova do autêntico cinema de autor, sem qualquer concessão. Não pode ser comentado. O espectador deve lançar-se nele como num voo cego, assumindo o risco de se irritar, repudiá-lo, negá-lo, desdizê-lo. Tudo, exceto permanecer indiferente.

Mais uma vez, infelizmente, os organizadores do evento  não deram a importância que este diretor merece. São apenas três sessões do filme (com horários e/ou locais um tanto inadequados). A terceira e última sessão acontece
dia 30.10 (terça) às 22:20 no ITAÚ – AUGUSTA

ALERTA: Cuidado com as sessões do filme ENCONTRANDO LEILA. A cópia é digital e hoje, na sessão da Reserva Cultural, o diretor julgou que as cores não estavam  à altura da cópia original e afirmou que caso os técnicos não corrigissem o problema, ele não permitiria a exibição do filme. A ladainha se estendeu por 30 minutos… (não permaneci na sala depois e não sei o desfecho da história…)

DOCUMENTÁRIOS

PROGRAMA TARKOVSKI – Neste Programa são exibidos vários médias-metragens (a duração total da sessão é de 118 minutos).  O destaque é para Um Dia na Vida de Andrei Arsenievitch, do grande diretor francês Chris Marker, falecido em julho. O média retrata a  partida de Tarkovski da União Soviética, o exílio com a esposa na Itália. E o drama de ter que separar-se do filho (o qual se encontra em São Paulo para apresentar a retrospectiva dos filmes do pai).  Após a partida do casal, o filho é mantido pelo governo da URSS como refém. Esse tipo de drama também aparece no documentário húngaro O LAGO BALATAN (cuja última sessão será na quinta-feira, 01.11, às 10:00 da manhã, na Sessão da Juventude do cine SABESP). Depois a descoberta da doença e, finalmente,  a  morte. Para os cinéfilos, é oportunidade rara de poder ver esse material reunido.

Última sessão nesta sexta-feira, às 14:00 no cine SABESP

LADO A LADO é outra dica para os amantes do cinema. O enfoque, no entanto, volta-se para os grandes diretores de Hollywood, como Martin Scorcese. A última sessão aconteceu hoje e quem quiser conferir deve torcer para o filme entrar na repescagem do final da Mostra.

MARGARET MEE E A FLOR DA LUA. Segue o estilo convencional de documentários (estilo Discovery e TV fechada). Entrevistas, depoimentos, imagens de arquivo, leitura de textos, algumas breves análises (sobre o desmatamento da Amazônia e as alterações climáticas).  Foi co-produzido por uma empresa que está desenvolvendo uma animação para crianças sobre o trabalho da ilustradora inglesa. O valor maior do filme está em mostrar não apenas o talento artístico de Margaret Mee, mas sua personalidade fascinante: determinação, coragem, amor pela ciência, pela arte, pela floresta  e, sobretudo, a generosidade. É muito delicada, particularmente, a parte final quando a diretora reconstitui a cerimônia da despedida dos restos mortais da artista. O filme é uma co-produção entre Brasil, Inglaterra e Noruega e entrará em cartaz (sem data prevista ainda).

Outras sessões:
26.10 (sexta) às 14:00 – LIVRARIA CULTURA
01.11 (quinta) às 20:45 – ITAÚ – FREI CANECA

OUTRO FILME:  RENOIR (já legendado em português, embora ainda sem data confirmada para entrar em circuito comercial) é uma reconstituição dos anos finais do pintor impressionista. Ambientado na Côte d’Azur, mostra a dor pela perda recente da esposa, a luta contra a artrite, o sofrimento quando o filho, Jean (que se tornará posteriormente um consagrado diretor de cinema) é ferido em combate na Primeira Guerra Mundial, a personalidade difícil da bela Andrée, modelo de muitos dos seus quadros e futura  esposa de Jean Renoir. A fotografia , a direção de arte e a sonoplastia são estupendas. O filme, no entanto, no seu conjunto, é mediano.

Outras sessões:
26.10 (sexta) às 18:30  – ITAÚ – FREI CANECA
27.10 (sábado) às 22:40 – ITAÚ – FREI CANECA

Nesta sexta-feira (26.10) acontecem sessões de HANNA ARENDT, MINHA FELICIDADE (um estarrecedor retrato da corrupção na Rússia), ESPAÇOS INACABADOS – A ESCOLA DE ARTES DE CUBA (um capítulo da história da Ilha pouco conhecido no Brasil) e ÁFRICA NEGRA MÁRMORE BRANCO (cuja sinopse sugere ser um interessante documentário).

Antecipando que as sessões (devido ao boca a boca e ao esgotamento da exibição de alguns filmes) começam a lotar mais, aproveitem e difundam os bons filmes desta sexta.

Professor Verô. 

+ There are no comments

Add yours