FGV-Adm: como deve ser a Carta de Motivação

FGV-Adm: como deve ser a Carta de Motivação


Por que Administração de Empresas – ou Administração Pública – e por que na Fundação Getulio Vargas? São esses dois simples questionamentos que o candidato deve responder ao longo de sua Carta de Motivação. Ela deve ser submetida até o dia 10 de novembro para os candidatos ao Vestibular da Administração de Empresas, ou seja, em menos de um mês, e até o dia 8 de dezembro para os candidatos a Administração Pública e de Administração de Empresas via Enem ou Certificados Internacionais. O documento é obrigatório para todos os candidatos, em todas as formas de ingresso.

Para a professora de Redação do CPV, Cristiane Florêncio, o aluno tem que estar muito seguro do que vai escrever, afinal o texto será a base do Exame Oral, aplicado na segunda fase do Vestibular. “Quanto mais sincero o candidato for, mais confiante será a sua resposta lá na frente”, diz. De qualquer forma, é importante guardar uma cópia para lembrar exatamente o que foi escrito antes de ir para a entrevista.

A Carta deve ter de 30 a 100 linhas e pode incluir qualquer informação, desde experiências pessoais até objetivos profissionais, desde que estejam ligados à carreira ou às características da instituição. Assim, um primeiro passo é ler sobre a função do administrador, quais são as áreas possíveis de atuação e como é o mercado de trabalho. “Também é muito importante conhecer a FGV, entender como é o curso deles e saber identificar o diferencial que a faculdade fará no futuro”, reforça Cristiane.

Vale ressaltar que a FGV detecta possíveis plágios, o que causa eliminação do candidato, e que a nota do Exame Oral corresponde a 30% da nota final do Vestibular.

+ There are no comments

Add yours